Planejando o Novo

Hugh Barr

Introdução

Embora acostumado a desafiar, o movimento interprofissional está sendo desafiado pela pandemia: um desafio que não conhece fronteiras entre profissões, entre instituições, entre organizações e entre nações; um desafio que gera não apenas demandas sem precedentes, mas também oportunidades sem precedentes de colaboração das quais depende nossa sobrevivência (Xirichis & Williams, 2020).

A aprendizagem interprofissional é a chave para a colaboração. É o meio pelo qual as profissões se unem em uma causa comum, reúnem seus recursos e se engajam em tarefas que estão além da capacidade de qualquer uma delas sozinha, deixando de lado rivalidades e diferenças. Esse é o processo que temos refinado por tentativa e erro por cerca de 70 anos, de forma mais rigorosa, mais sistemática e mais convincente ao longo do tempo, combinando evidências da experiência e da pesquisa.

Tudo isso foi ameaçado no Reino Unido quando as universidades foram "fechadas". Os campi foram fechados, o ensino colocado on-line e os recursos de aprendizagem reinventados rapidamente. A aprendizagem interprofissional foi vítima dos problemas com os quais estava sendo chamada a se engajar. No entanto, os colegas me asseguram que está provando ser o catalisador para uma abordagem mais criativa, matizada e expandida para trabalhar além das fronteiras (Gurbutt, 2020).

O desafio para os educadores interprofissionais é conseguir mais com menos:
  • Fortalecer a capacidade de aprendizagem interprofissional para responder quando e onde a pandemia exige colaboração mais estreita;
  • Compensar as restrições na aprendizagem presencial;
  • Explorar os avanços em tecnologia educacional;
  • Capitalizar a liberdade nos processos de ensino-aprendizagem;
  • Priorizar a aprendizagem interprofissional onde promete ser mais eficaz;
  • Contribuir para a formulação de diretrizes.
Respondendo ao desafio

A pandemia gerou um coquetel de problemas que exigem colaboração, onde o aprendizado interprofissional pode ajudar. A qual deles devemos responder, como educadores interprofissionais: promoção da saúde, educação para a saúde, economia, emprego, habitação, recreação e lazer, manutenção de renda e direitos de bem-estar, desenvolvimento comunitário, proteção ambiental e mais? Responder a todos eles se e quando solicitados por informações e conselhos; convidar a ingressar em programas de aprendizagem interprofissional para que sua inclusão não se dilua, se dissipe, se fragmente e sobrecarregue. Mil flores podem florescer, mas algumas murcham na videira.

Sem dúvida, nossa tarefa é desafiadora o suficiente com base em nosso histórico experimentado e testado na atenção primária e secundária à saúde, embora o aprendizado interprofissional esteja ampliando cada vez mais. Onde, então, devemos traçar seus limites? Em relação à saúde pública, sugiro incluir qualquer um ou todos os campos que listei, garantindo que cada vez que o caso seja feito, acrescente outro que enriquecerá nossa resposta à saúde pública em geral.

A saúde pública há muito tempo é o parente pobre na família interprofissional. Deve permanecer assim? Ou pode utilizar seu contexto ampliando as práticas de ensino-aprendizagem interprofissional?

Compensando as restrições

O ensino presencial está em perigo, os alunos devem aprender sozinhos, em casa e on-line, os tutoriais individuais e a aprendizagem em equipe são restringidos e as atividades prática são mais difíceis de negociar. Os padrões devem ser comprometidos? Alguns órgãos reguladores estão renunciando a seus requisitos enquanto durar a pandemia, sem nenhuma garantia de que as universidades, uma vez que se acostumarem a estilos alternativos de aprendizagem, retornarão a elas quando a pandemia terminar.

Explorando tecnologia

O aprendizado on-line e simulado é uma alternativa oportuna para o aprendizado face a face, mas não um substituto. Os pesquisadores podem nos ajudar a avaliar o impacto relativo da aprendizagem presencial e on-line separadamente e em combinação? Avaliações comparativas da eficácia das abordagens de aprendizagem podem, no entanto, permanecer indefinidas, pendentes de avanços na metodologia de pesquisa.

Aprendizagem libertadora

Esses desafios se tornam menos assustadores à medida que descobrimos como o aprendizado on-line pode ser libertador. Os custos iniciais aumentam para reestruturar os programas e reorientar os professores, mas os custos de funcionamento são isentos de taxas, seguro e despesas dos apresentadores e participantes para viagens e deslocamentos. Compare as reuniões virtual com outras que estão sendo convocadas por meus colegas do CAIPE em Londres, onde professores e alunos da Holanda estão apresentando para outros da África, Austrália, Brasil, Irlanda, Sri Lanka, Suíça e Qatar durante uma conferência que atraiu três vezes mais participantes do que em anos anteriores em conferências convencionalmente projetadas e realizadas.

Priorizando opções

A incorporação da aprendizagem interprofissional em cursos universitários continuará, mas webinars e workshops entre profissionais experientes podem impactar mais direta e imediatamente os desafios. A pesquisa pode ajudar a determinar os diferentes efeitos, estruturas e métodos de aprendizagem interprofissional.

Contribuindo para as Diretrizes

A instrução dada a nós é para ajudar a esboçar diretrizes para o aprendizado interprofissional durante a pandemia.

Eu ofereço o seguinte:

  • Redefinir o objetivo principal da aprendizagem interprofissional para promover a saúde pública;
  • Explorar a aprendizagem libertadora para efetuar economias e otimizar a aceitação;
  • Colocar de lado os requisitos de aprendizagem face a face por não mais do que o inevitável;
  • Invocar o aprimoramento tecnológico da aprendizagem;
  • Comparar os efeitos da aprendizagem presencial e on-line separadamente e combinados.
Diretrizes
  • Nem regulamentos nem requisitos?
  • Por quem para quem?
  • Adaptar as diretrizes existentes ou elaborá-las do zero?
  • Conciliar as expectativas de cima para baixo das políticas com a experiência de baixo para cima, a partir das experiências do educadores interprofissionais?
  • Ensino interprofissional moderado por tutores educacionais e profissionais dos serviços?
  • Alicerçado em princípios e métodos de valores interprofissionais?
  • Distinguir entre o conhecido, o desconhecido e o incognoscível?
Conclusão

O movimento interprofissional está em meio aos desafios mais difíceis de todos os tempos, mas mais bem preparado e equipado para enfrentá-los a qualquer momento durante sua curta história.

As redes de apoio mútuo são firmemente estabelecidas com o apoio das organizações internacionais como a OMS, lideradas pela Confederação ‘Interprofessional. Global 'com sua organização irmã de pesquisa como uma geração mais jovem de professores que utiliza programas de aprendizagem a uma avaliação rigorosa. E a literatura interprofissional cresce exponencialmente revisada por pares em periódicos eruditos. Tudo isso é um bom presságio quando vemos reflexos de luz no fim do túnel da COVID-19.