El Salvador realiza Reunião Técnica sobre Educação Interprofissional em Saúde

O Ministério da Saúde e Ministério da Educação de El Salvador realizaram no dia 08 de maio de 2019 a primeira reunião técnica sobre Educação Interprofissional em Saúde.

Os reitores e representantes das universidades e institutos de formação em saúde, tanto nacionais como privados, juntamente com os representantes da Unidade de Formação e Qualificação do Ministério da Saúde e da Diretoria de Ensino Superior do Ministério da Educação com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS / OMS) criaram um espaço entre saúde e educação para apresentar a estratégia da Educação Interprofissional (EIP) em saúde para iniciar o processo de sua implementação, com vistas a contribuir para o acesso universal à saúde e cobertura universal em saúde.

Na sessão de abertura da reunião, a Assessora de Sistemas e Serviços de Saúde da OPAS / OMS, Hilda Leal de Molina, a Diretora de Desenvolvimento de Recursos Humanos do Ministério da Saúde, María Angela Elías, e a representante da Diretoria de Educação Superior do Ministério da Educação, Wendy Menéndez, afirmaram a importância da EIP e das práticas colaborativas em saúde como estratégia de apoio para a transformação do modelo de atenção para alcançar a saúde universal.

Os principais temas debatidos no evento foram situação da EIP na Região das Américas, realizada pelo consultor internacional da OPAS/OMS no tema da EIP, José Rodrigues Freire, a apresentação do plano EIP do país, pela representante do Ministério da Saúde, Evelyn Flores de Nieto, e a formulação de propostas para implementar a EIP a nível nacional, por meio do estabelecimento de grupos de trabalho. 

Em El Salvador foi proposta uma Reforma Sanitária, desde o ano de 2009, contemplando importantes mudanças e impactos, sendo um dos mais relevantes o eixo 8: Desenvolvimento de Recursos Humanos; com a finalidade de promover a formulação e implementação da Política Nacional de Recursos Humanos, que em sua estratégia 2.2 estabelece: desenvolver e fortalecer os mecanismos de coordenação e cooperação entre instituições de ensino e serviços de saúde, para que os recursos formados deem resposta ao fundamental direito humano.

O país participou da iniciativa da OPAS / OMS para dar continuidade à agenda da EIP, no ano de 2017, estando presente na segunda reunião técnica regional de EIP. Neste evento, foi estabelecido um compromisso entre os países da região das Américas e a OPAS para colaborar na elaboração de planos de ação que permitam a implementação da EIP em suas políticas de recursos humanos em saúde.

Resultados

Os grupos de trabalho da reunião formularam propostas para implementar a EIP no nível de graduação, as quais são:

  • Desenvolvimento docente para a EIP.
  • Formulação de Manual com orientações sobre EIP.
  • Inclusão da EIP nas universidades, por meio dos programas ou currículo.
  • Avaliação de iniciativas de EIP por meio de indicadores.
  • Oferta de disciplinas comuns com estudantes de diferentes carreiras quando a instituição permitir.
  • Incentivo ao uso de estratégias de ensino-aprendizagem, como a aprendizagem baseada em problemas ou casos clínicos com pacientes simulados para promover a EIP
  • Realização de eventos sobre EIP.

Os acordos estabelecidos foram:

  • Continuar com o espaço de gestão de Educação / Saúde para tratar de questões estratégicas, como as relacionadas com a EIP.
  • Manter a participação dos mesmos membros nas próximas reuniões.
  • Comprometer as autoridades de cada instituição a assumir a estratégia da EIP.

Finalmente, os seguintes temas foram sugeridos:

  • Revisão do Regulamento do Serviço Social para carreiras, incluindo a abordagem da EIP.
  • Espaços Integrados de Saúde / Educação.
  • Investir no tema da qualidade com a inclusão da EIP.

O país continua a avançar no tema da EIP. O próximo passo será apresentar o diagnóstico das experiências de EIP, além da chamada a todas as partes interessadas do país para realizar o curso virtual de EIP disponível no Campus Virtual de Saúde Pública (CVSP) da OPAS.